Educação dos filhos: conheça os erros mais comuns

Postado em 02/09/2019

Educação dos filhos: conheça os erros mais comuns

Por Renata Demôro

Você acredita que esteja acertando na forma como educa seus filhos? E se alguém dissesse que os elogios podem transformá-los em fracassados? Ou que mentir na infância é tão natural quanto respirar? Dois jornalistas americanos reuniram pesquisas recentes na área e elaboraram o livro “Os 10 erros mais comuns na educação de crianças” (Editora Lua de Papel). Provocativa, a publicação questiona valores com base na neurociência e psicologia comportamental. A seguir, confira alguns trechos retirados do livro:

1- O poder inverso do elogio

Elogio é bom, quando a criança faz por merecer. Do contrário, ela pode começar a dispensar o elogio falso e também o sincero. Além disso, elogios desmedidos podem deturpar a motivação da criança, que passa a tomar certas atitudes apenas para ser elogiada e não por que lhe dá prazer. Segundo os autores, pesquisa “revelou que os alunos elogiados passam a evitar os riscos e lhes falta autonomia para discernir. Quando entram na faculdade, alunos muito elogiados anteriormente costumam desistir de disciplinas para evitar notas baixas e têm maior dificuldade para se decidir por uma especialidade – têm medo de se comprometer em algo que possam falhar.”

2- Os efeitos de uma hora a menos de sono

Não há desculpa para que a criança durma menos do que o necessário. Atividades em excesso, lição de casa, eletrônicos no quarto – tudo deve ser medido de forma a não afetar o horário de dormir. “O surpreendente não é que o sono é importante, mas o quanto ele é importante, comprovadamente, não apenas para o desempenho acadêmico e estabilidade emocional, mas também para fenômenos que se julgava não terem nenhuma relação, como a epidemia mundial de obesidade e o aumento dos casos de transtorno do déficit de atenção”, diz o livro.

3- Crianças são estimuladas a mentir

Normalmente as mentiras começam com as crianças fazendo algo de errado e negando o que fizeram para não enfrentarem as consequências. Isso é natural. O que não deveria ser é o fato de os pais deixarem passar batido, em vez de aproveitar a ocasião para dizer que não se deve mentir.  “Sendo estimuladas a dizer tantas mentiras inocentes, as crianças aos poucos se sentem mais confortáveis ao dissimularem. A falta de sinceridade passa a ser, literalmente, parte da rotina. Elas aprendem que a honestidade só gera conflitos; logo, mentir é o modo mais fácil de evita-los”, defendem os autores.

4- A influência dos irmãos

Brincando em grupo as crianças aprendem a negociar e ceder para que mesmo uma simples brincadeira seja um consenso. Uma criança que não desenvolve essa habilidade entre amigos terá dificuldade de considerar as vontades do irmão na hora da brincadeira – seu interesse em outra atividade ou a vontade de brincar sozinho. “O fato de as crianças de comportarem bem na aula ou conseguirem trabalhar em grupo, não indica que se darão bem com os irmãos”, alerta o livro.

 

Fonte: GNT

 

Outras Notícias

 

10 dicas e 13 motivos para usar celular na aula
Postado em 16/11/2019

Apesar de ainda haver alguma resistência aqui ou ali, os governos de todo o mundo estão cada vez mais atentos sobre a necessidade de se colocar as tecnologias móveis, como celulares e tablets, a serviço da educação. Mas como só vontade não ga...
leia mais »

Gagueira infantil: o que você precisa saber
Postado em 09/11/2019

O pai tem, o avô também. Gagueira, em 55% dos casos, é distúrbio determinado por fatores hereditários, mas há casos em que ela se faz notar na infância sem se saber bem por quê. "É a chamada gagueira de desenvolvimento", conta ...
leia mais »

Nem tudo é bullying na escola
Postado em 02/11/2019

Especialistas alertam que a superproteção dos pais e da escola pode atrapalhar o desenvolvimento das crianças

A cena é cada vez mais comum. Basta a criança discutir com um colega, receber uma crítica em classe, ser recusada na brincadeira organi...
leia mais »